Pesquisa de opinião pública sobre Saneamento Básico

Em uma iniciativa brilhante o Instituto Trata Brasil em conjunto com o IBOPE realizaram uma pesquisa com 1008 responsáveis por domícilios dos municípios brasileiros com mais de 300 mil habitantes, totalizando 79 cidades, visando levantar as percepções da população sobre o Saneamento Básico.

Os resultados da pesquisa revelam que 31% da população brasileira desconhece o que é saneamento básico, e indicam que a população brasileira desconhece o destino do esgoto de seu domícilio e da cidade.

Veja o contéudo integral da pesquisa em: Instituto Trata Brasil

Leia Mais

Economia deve internalizar custos ambientais

Fonte: Compilado de Cristina Tavelin – Revista Ideia Socioambiental/ São Paulo

Em entrevista para a Revista Ideia Socioambiental, o economista Sérgio Besserman Vianna avalia as mudanças de paradigmas e ações necessárias para uma economia sustentável

IS- Considerando-se a crise financeira, de quais investimentos sustentáveis as empresas não devem abrir mão? A busca por tecnologias mais limpas e a ecoeficiência são prioridades?

SB – Sem dúvida, porque, em primeiro lugar, essas tecnologias representam uma redução efetiva de custos, com impacto imediato. Do ponto de vista da estratégia empresarial, em um mundo de transformação acelerada, é arriscado demais ignorar um assunto como a sustentabilidade.

IS-  Qual o papel dos consumidores na promoção de uma economia mais sustentável? Iniciativas como a rotulagem de produtos de acordo com as emissões de carbono, prática que tem avançado na Europa e nos EUA, são importantes para promoção de padrões mais sustentáveis para o mercado?

SB- A difusão, transparência e aumento do conhecimento no processo de consumo são importantes ações por si mesmas. À medida que os consumidores atribuem um preço ou um valor a aspectos verdes dos produtos ou iniciativas da empresa, eles conseguem direcionar melhor o seu poder de consumo. Mas não será o consumo consciente que mudará o nosso modo atual de produzir e consumir na direção da sustentabilidade. O que provocará efetivamente a mudança é a internalização de custos relativos a bens e serviços ambientais na economia de mercado.

Leia Mais

Conceito de externalidades

As externalidades são os efeitos colaterais da produção de bens ou serviços sobre outras pessoas que não estão diretamente envolvidas com a atividade. Em outras palavras, as externalidades referem-se ao impacto de uma decisão sobre aqueles que não participaram dessa decisão.

As externalidades podem ter efeitos positivos ou negativos, isto é, podem representar um custo para a sociedade, ou podem gerar benefícios à mesma.

Um exemplo típico de externalidade negativa é a da fábrica que polui o ar, afetando a comunidade próxima. No entanto, o estímulo a economia regional, como resultado da demanda de serviços pela fábrica, pode representar uma externalidade positiva para a comunidade.

O problema das externalidades negativas é que elas passam a se tornar custos para a população. Assim é necessário a criação de políticas públicas para estimular a instalação de atividades que constituam externalidades positivas, e impedir a geração de externalidades negativas, ou obrigar aos geradores de externalidades negativas que as internalizem, isto é, arquem com os custos das mesmas.

Leia Mais