Categorias
Licenciamento Ambiental

Licenciamento Ambiental em Campo Grande – Mato Grosso do Sul

Muitos empreendimentos precisam de licenciamento ambiental, como as indústrias, lava-jatos, supermercados, igrejas, shoppings, etc.
Para orçar serviços de licenciamento ambiental no âmbito municipal de Campo Grande, MS, entre em contato pelo formulário abaixo:
[contact-form-7 id=”829″ title=”Sem nome”]
Sobre o Licenciamento Ambiental em Campo Grande, MS:
O SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO E CONTROLE AMBIENTAL de Campo Grande, ou SILAM, foi criado pela Lei municipal N° 3612/99, visando à atuação do município no controle ambiental da implantação e funcionamento de empreendimentos e atividades potencialmente causadoras de impacto ambiental, e visando a descentralização do processo de Licenciamento ambiental do Mato Grosso do Sul, que antes era atribuição específica do governo do estado.
O SILAM é aplicado pela Divisão de Licenciamento e Fiscalização Ambiental – DILF, que é o departamento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SEMADES responsável por licenciar as atividades potencialmente poluidoras que se instalam e operam em Campo Grande, MS. Também compõem o SILAM: a Comissão de Controle Ambiental – CCA e o Conselho Municipal de Meio Ambiente – CMMA; cada qual com suas competências específicas.
O SILAM estabelece que precisam ser licenciados ambientalmente os empreendimentos e atividades causadores de impactos ambientais diretos e restritos ao território de Campo Grande, públicos ou privados, desde que relacionados no Art. 2º e complementarmente no Anexo I da Lei Nº 3612/99.
Os empreendimentos e atividades que já haviam sido instalados antes da criação do SILAM ou que estão sendo licenciados pelo governo estadual, conforme estabelecido no art. 16 da Lei Nº 3.612/99, precisam se adequar ao SILAM, ou seja, dar entrada em um novo processo de licenciamento na DILF.
No caso de empreendimentos que cometam irregularidades no processo de licenciamento ou mesmo infrações ambientais, no SILAM estão previstas como penalidades: multa, apreensão, interdição das instalações, de atividades e cassação da licença ambiental municipal. Os valores básicos das multas estão estipulados no Anexo II da Nº Lei 3.612/99 e variam de 200 (duzentos) a 10.000 (dez mil) UFIR, dependendo a natureza da infração e o potencial poluidor do empreendimento e atividade.

Categorias
Consumo Consciente Desenvolvimento Sustentável

O papel do Consumidor

Será que ser um consumidor consciente vale a pena? Analise as imagens abaixo e conclua! Pense sempre nas suas escolhas, no seu papel como consumidor! O consumidor pode mudar o mundo através das suas escolhas! Consumir não é só comprar, mas sim escolher o que comprar!

E o consumo é automático, mesmo que você passe o dia inteiro sem abrir a carteira, você consumiu um monte de coisa que paga mensalmente: água, luz, etc.

O que é Consumo Consciente e Inter-dependência?
O que é Consumo Consciente e Inter-dependência?

O consumidor compulsivo gera o desequilíbrio do Planeta
O consumidor compulsivo gera o desequilíbrio do Planeta

O Consumidor consciente contribui para o equilíbrio do Planeta!
O Consumidor consciente contribui para o equilíbrio do Planeta!

Categorias
Consumo Consciente

5 R's

No seu dia a dia, pratique os 5 R’s:
Reduzir, Reutilizar, Reciclar, Repensar e Recusar.

O primeiro passo é REDUZIR a quantidade de lixo que a gente produz. Depois REUTILIZAR tudo que pudermos e RECICLAR.
REPENSAR nosso comportamento diário e RECUSAR produtos que agridem a saúde a o meio ambiente também é colaborar com o processo de conservação.

Categorias
Consumo Consciente

Dica de como reciclar – Consumo Consciente de Embalagens

Estamos no meio da grande onda verde, a hora da virada, é preciso adquirir consciência ambiental e rápido. Então, como sou Engenheira Ambiental, quero dar 5 dicas para o consumo consciente de embalagens:
1- Evite Embalagens Desnecessárias!
2 – Prefira produtos com embalagens retornáveis ou refis!
3 – Utilize sacolas retornáveis! De tecido! Diga não as sacolinhas plásticas!
4 – Reutilize suas embalagens sempre que possível!
5 – Encaminhe as embalagens sem utilidade para a reciclagem!
No meu bairro não tem programa de reciclagem, mas passam muitos catadores de materiais recicláveis. Então o que eu faço é separar o lixo em reciclável e rejeito. No reciclável entra tudo o que é reciclável junto, desde que limpo e seco, caixa de papelão, de sabonete, frasco de detergente, de amaciante, garrafa pet. E o rejeito é o lixo do banheiro, e o resto de comida! Aí eu coloco na lixeira na calçada em horas diferentes, coloco o reciclável de manhã logo cedo, sempre que encho um saco de 100 litros, no começo eu colocava uma fita crepe escrito reciclável. Agora os catadores já aprenderam então não precisa mais.
E coloco o rejeito só na hora e dias em que sei que vai passar o lixeiro!
Quer jeito mais fácil de reciclar? Melhor do que os catadores terem que enfiar a mão no lixo todo!