Categorias
Recursos Hídricos

Assoreamento dos rios

assoreamento é o acúmulo de sedimentos (areia, terra, rochas), lixo e outros materiais levados até o leito dos cursos d’água pela ação da chuva, do vento ou do ser humano. Trata-se de um processo natural que pode ser intensificado pela ação humana. Em alguns casos, o rio pode até deixar de existir em decorrência desse fenômeno.
A retirada da mata ciliar nas margens dos rios é uma das principais causas do assoreamento. O assoreamento reduz o volume de água, torna-a turva e impossibilita a entrada de luz, impedindo a renovação do oxigênio para algas e peixes. Por essa razão, em muitos casos, extingue-se a vida nesse rio. Na zona urbana, pode ocorrer escassez ou ausência de água para o abastecimento de cidades pela diminuição da capacidade hídrica do rio. No campo, o assoreamento dos rios pode limitar o fornecimento de água para as atividades de agricultura e pecuária.
Como solucionar o problema do assoreamento?

  • Evitar e controlar erosões no solo, utilizar práticas agrícolas adequadas, além de manter as matas ciliares intactas é a melhor receita para evitar o assoreamento;
  • Uma solução para os locais onde já não existe mata ciliar é o reflorestamento das áreas próximas às margens dos cursos d’água, além da utilização de técnicas como curvas de nível no terreno, planejamento de construções e sistemas de drenagem.
Categorias
Planejamento Ambiental Recursos Hídricos

Plantios de sementes agrícolas

Abaixo estão elencadas algumas dicas para o plantio correto de sementes agrícolas:

  • Antes do plantio faça uma boa conservação do solo. Se houver palhada não decomposta, aguarde a decomposição, evitando problemas para a germinaçãodas sementes.
  • Previna-se contra o ataque de pragas de solo e lagartas, tratando as sementes e ou acompanhando e tratando a área após a implantação.
  • Cuidado com a competição de plantas invasoras por água, nutrientes e insolação, bem como com a possibilidade de alelopatia. Faça um bom preparo do solo, e se preciso a aplicação de herbicida em pós-emergência (contudo é preciso um agrônomo para avaliar e recomendar isso).
  • Preparo do solo: Após conservação do solo e gradagem pesada, faça o nivelamento do solo e plantio. Se optar por plantio a lanço faça a cobertura com grade niveladora fechada ou passe rolo compactador.
  • Grade niveladora fechada: Deve ser utilizada para cobrir sementes grandes, como Brachiaria bricantha, Brachiaria decumbens, etc.
  • Rolo compactador: Melhor opção para consolidar plantio de sementes pequenas como das cultivares Massai, Mombaça, Tanzania-1, BRS Zuri, BRS Tamani, Humidícola, Vaquero, etc.
  • Plantio aéreo em área com soja: Aplicar 40% a mais de sementes e efetuar a semeadura antes da caída das primeiras folhas de soja (semeadura sujeita a riscos).
  • Mesmo com todos esses cuidados, existe o risco das sementes não nascerem por excesso de temperatura do solo e pouca chuva (riscos normais da atividade agrícola).
Categorias
Licenciamento Ambiental Licenciamento Ambiental MS

Outorga de Poços Tubulares em funcionamento no MS

Na resolução que trata sobre os poços, ela fala que mesmos os isentos tem que fazer o cadastro estadual de usuários de recursos hidricos – CEURH, através do sistema SIRIEMA, para mais informações entre em contato com o GRH 3318-6046, abaixo resoluções.
https://www.dropbox.com/s/89kcfsbl584w5bk/Manual_outorga_dezembro.pdf?dl=0
https://www.dropbox.com/s/fubgt9a8jcgg8q9/Manual-de-Outorga-Di%C3%A1rio-Oficial..2.pdf?dl=0
 

Categorias
Controle Ambiental

Controle de Baratas de cozinha

Medidas preventivas para controle de baratas de esgoto (Periplaneta americana) e baratas de cozinha (Blatella germânica):

  1. Manter alimentos guardados em recipientes fechados.
  2. Conservar armários e despensas fechados, sem resíduos de alimentos.
  3. Verificar periodicamente frestas e cantos de armários e paredes.
  4. Recolher restos de alimentos e qualquer outro tipo de lixo em recipientes adequados.
  5. Remover e não permitir que sejam amontoados caixas de papelão e lixo em locais não apropriados.
  6. Manter caixas de gordura e galerias bem vedadas.
  7. Colocar tampas em ralos não sifonados.
  8. Colocar borracha de vedação na parte inferior externa das portas.
  9. Manter bem calafetados as junções de revestimentos de paredes e pisos.
  10. Ficar atento a tetos rebaixados.
  11. Limpar periodicamente a parte posterior de quadros e painéis.
  12. Remover e destruir ootecas (ovos de baratas).
  13. Acabar com a prática de fazer pequenos lanches na mesa de trabalho, protegendo teclados de migalhas.
  14. Providenciar a vedação ou selagem de rachaduras, frestas, vasos e fendas que possam servir de abrigo para baratas.
  15. Praticar limpeza úmida total no ambiente, mantendo superfícies desengorduradas.

 

Categorias
Controle Ambiental

Controle de escorpiões

Medidas preventivas para o controle de escorpiões (tutyus serrulatus, tityus trivittatus):

  1. Tomar medidas preventivas para o controle de baratas. Pois escorpiões se alimentam de baratas.
  2. Consertar rodapés despregados e colocar telas nas janelas.
  3. Telar ralos de chão, pias e tanques.
  4. Manter limpos os jardins, quintais e arredores, aparando a vegetação com frequência.
  5. Limpar periodicamente terrenos baldios dos arredores.
  6. Não acumular lixo de varredura, folhas secas, gravetos e cascalhos.
  7. Vedar frestas em portas, janelas e muros, impedindo a entrada de escorpiões, principalmente ao anoitecer.
  8. Evitar que as paredes fiquem sem reboco, pois buracos em tijolos servem de locais de abrigo para escorpiões.
  9. Manter fechados armários e gavetas.
  10. Examinar roupas e calçados antes de colocá-los, principalmente quando tenham ficado espalhados pelo chão.
Categorias
Controle Ambiental

Controle de Formigas domésticas

Existem várias medidas preventivas que se pode tomar para fazer o controle de Formigas Domésticas (Iridomyrmex sp.):

  1. Não deixar restos de alimentos espalhados. Recolher e colocar em recipientes adequados.
  2. Vedar frestas de pisos, azulejos, portais e outros locais que ofereçam condições de abrigo para as formigas.
  3. Não acumular madeira em locais úmidos.
  4. Não fazer pequenos lanches em locais onde não queira formiga, ex: mesa de trabalho.
  5. Cuidado com migalhas de alimentos, passar aspirador.
Categorias
conceitos

Exercícios de Escala de Área

Exercícios de cartografia sobre Escala de Área:
1) Uma determinada área (1) foi reduzida pela metade em suas dimensões lineares. Qual foi a redução da área?
2) Uma área teve suas dimensões lineares reduzidas em quatro vezes, sofreu uma redução de área em que proporção?
3) Uma área (a) foi 9 vezes reduzida em relação a uma área (b). De quanto foi a redução linear?
4) Quando ampliamos linearmente um mapa pelo triplo de suas medidas, em quanto estaremos ampliando sua área?
5) Ao se ampliar a área de uma planta em 25 vezes, quantas vezes estarão sendo ampliadas suas dimensões lineares?
6) Uma carta que teve sua área ampliada em 64 vezes, sofreu uma ampliação linear de quantas vezes?

Categorias
conceitos

Exercícios de mudança de escalas

Exercícios de cartografia sobre Mudanças de Escalas:
1) Ampliar em 5 vezes a escala 1:100.000:
2) Reduzir em 4 vezes a escala 1:25.000:
3) Um cartógrafo, desejando mapear uma determinada área na escala 1:250.000, chegou a conclusão que a melhor solução seria utilizar cartas na escala 1:50.000, já existentes. Ele tem que reduzir ou ampliar estas cartas, e quantas vezes? Utilize a relação E1/E2, onde E1=1:50.000 e E2=1:250.000.
4) Em uma carta na escala 1:1.000.000, medimos uma estrada com 3,0 cm de extensão. Ao ampliarmos essa carta 4 vezes, que escala encontraremos e qual será o valor da mesma distância?

Categorias
conceitos

Exercícios de escolha de escalas

Exercício de Cartografia sobre escolha de escalas:
1) Ao planejarmos o mapeamento de uma determinada região, verificamos a existência de muitos elementos naturais e artificiais com 4,0m de extensão. Qual a escala indicada para que esses elementos possam der representados?
2) Determine a menor escala em que qualquer elemento com 50,0m de comprimento terá representação.
3) Se no exercício anterior o comprimento dos elementos fosse de 10,0m?

Categorias
conceitos

Exercícios sobre erro gráfico

Exercícios de cartografia sobre erro gráfico.
1) Qual a menor dimensão real de um elemento natural ou artificial representável nas seguintes escalas:
1:25.000
1:50.000
1:100.000
1:250.000
1:1.000.000
2) Sabendo que o erro gráfico em qualquer escala é de 0,2mm, comprove se uma edificação de 50m de comprimento (reais) pode ser representada em uma carta na escala 1:100.000.
3) Verifique se um elemento de 5,0m de comprimento poderá ser representado em uma carta na escala 1:50.000. Caso não possa, e tendo-se a necessidade de ser representa-lo,que solução seria viável, sem alterar a escala?